Por que o desenho técnico é importante para minha carreira?

É muito comum que o estudante que está formando no ensino médio tenha dúvidas sobre qual profissão escolher.  Afinal, essa é uma decisão que irá influenciar sua vida por muitos anos, e não dá para fazê-la sem buscar muita informação antes.

Mesmo aqueles que já tem alguma ideia do que fazer, podem ficar em dúvida entre opções semelhantes, como os cursos de Arquitetura e Engenharia Civil.

Aqui no blog já falamos um pouco sobre como essas duas profissões convergem no mercado, e agora vamos falar um pouco de um dos estudos mais importantes dentro dos dois cursos: o desenho técnico.

Acompanhe conosco e descubra o que é desenho técnico e como ele é aplicado tanto na Engenharia quanto na Arquitetura para que você saiba de uma vez por todas qual curso escolher!

O que é desenho técnico?

O desenho técnico é uma forma de expressão gráfica cujo objetivo é representar a forma, dimensão e posição de um ou vários objetos. Parece simples, mas o desenho técnico é um estudo complexo que segue as diferentes regras das diversas modalidades de Arquitetura e de Engenharia, não só a Civil.

O desenho técnico é visto como a linguagem gráfica universal da Arquitetura e Engenharia, e assim como a nossa linguagem escrita, ele exige estudos e treinamento específico para ser criado e para ser entendido.

São utilizados um conjunto de números, linhas, símbolos e indicações normalizadas internacionalmente para que qualquer profissional com os conhecimentos certos consiga “ler” um desenho realizado por outro profissional.

Isso porque, muitas vezes, a representação de figuras espaciais (de três dimensões) pode ser difícil em um plano de duas dimensões e causar confusão se as normas não forem seguidas.

Qual a importância do desenho técnico na Engenharia?

Nos trabalhos que implicam os conhecimentos de Engenharia, a execução de boas idéias depende de cálculos, estudos econômicos, análise de riscos etc., que em grande parte são resumidos em desenhos que representam o que deve ser executado ou construído.

O desenho técnico é uma ferramenta que promove e desenvolve a capacidade de interpretar um desenho de um projeto segundo as normas e de saber redigir um segundo as mesmas normas.

Apesar da evolução tecnológica e dos meios disponíveis pela computação gráfica, o ensino de desenho técnico ainda é imprescindível na formação de qualquer engenheiro, pois, além do aspecto de linguagem gráfica que permite que as idéias concebidas por alguém sejam executadas por terceiros, o desenho técnico desenvolve o raciocínio, o senso de rigor geométrico e de organização, tornando possível a fabricação de um projeto com precisão.

O desenho técnico tem por finalidade a representação dos objetos o mais próximo possível, em formas e dimensões, assim, o aprendizado de um engenheiro irá depender, de uma forma ou de outra, do desenho técnico.

E na Engenharia?

Na arquitetura o desenho técnico se traduz no desenho arquitetônico e possui as mesmas funções que executa na Engenharia. É ele que permite ler e interpretar um croqui, planta, layout ou projeto, da mesma maneira que permite criar um desses itens.

O desenho arquitetônico é a representação gráfica das projeções verticais e horizontais do projeto arquitetônico, que correspondem às plantas baixas, fachadas, vistas, cortes, elevações, em determinadas escalas que possibilitam a leitura e a execução do projeto.

Assim como no desenho técnico, ele manifesta-se como um código para uma linguagem que é estabelecida entre o emissor (o desenhista ou projetista) e o receptor (o leitor do projeto), para que o projeto seja entendido por qualquer receptor com os conhecimentos adequados.

Quais os materiais necessários para fazer um desenho técnico?

Existem dois tipos de desenho: os virtuais (feitos por meio de softwares especializados) e os desenhos feitos à mão. Existem diversos Arquitetos que defendem a criação à mão livre para estimular a criatividade e ajudar na assimilação do conhecimento.

Além disso, muitas vezes é exigido tanto de Arquitetos quanto de Engenheiros que façam um esboço de um projeto, ou mesmo um projeto completo, rapidamente, sem acesso aos softwares e computadores que permitem fazê-lo no meio digital. Por isso, para essas duas profissões, é importante saber executar um desenho à mão e possuir os materiais certos.

Veja abaixo quais são as principais ferramentas e materiais necessários tanto para os momentos de estudo na faculdade quanto para executar a profissão depois de formado:

  • Prancheta de desenho: uma mesa, normalmente inclinável, na qual é possível manter pranchas de desenho em formatos grandes (como o A0) e onde se possam instalar réguas T ou paralelas;

  • Régua T ou Régua paralela: estas réguas eram instrumentos para traçado de retas paralelas e perpendiculares, a serem usadas juntamente de um par de esquadros;

  • Par de esquadro: elementos para auxiliar o traçado de retas em ângulos pré-desenhados, como 30º, 45º, 60º e 90º;

  • Escalímetro: um tipo especial de régua, normalmente com seção triangular, com a qual podem ser realizadas medidas em escalas diferentes;

  • Lapiseiras ou lápis: adequados às espessuras desejadas;

  • Canetas nanquim: tais canetas eram utilizadas na execução dos desenho finais, como aqueles destinados à construção. Exigiam cuidado constante, pois seu entupimento, caso não fossem limpas com freqüência, seria um problema comum:

  • Mata-gato: instrumento que auxilia o uso da borracha em locais determinados do desenho. Constitui-se de uma placa perfurada a ser posicionada sobre o setor do desenho a ser corrigido, de forma a que apenas se apague o desejável;

  • Borracha: podendo ser a comum ou a elétrica;

  • Conjunto de normógrafo e réguas caligráficas: auxiliam a escrita de blocos de texto padronizados e com caligrafia técnica;

  • Lâmina e borracha de areia: permitem a correção de desenhos errados efetuados à nanquim sobre papel vegetal;

  • Gabaritos ou escantilhões: pequenas placas plásticas ou metálicas que possuem elementos pré-desenhados vazados e auxiliam seu traçado, como instalações sanitárias, circunferências etc;

  • Curva francesa: um tipo especial de gabarito composto apenas por curvas, nos mais variados raios.

Gostou das nossas dicas? Quer continuar aprendendo mais? Toda quinta temos um novo conteúdo.

Share this post

Deixe uma resposta